Slovo v jizni i slovo v poesii (Questões de poética sociológica)

colaborou Sheila Grillo

No último encontro do subgrupo, fechamos nosso ano acadêmico com a discussão sobre as partes finais do texto “A palavra na vida e a palavra na poesia”.  Em seguida, reproduzimos resumidamente os aspectos mais relevantes da discussão, identificando as páginas e momentos em que aparecem no texto original.

Parte IV

Os três aspectos da palavra na vida:

I) Sua relação “interna” com o contexto social por meio, entre outros, da entonação e do gesto. Por exemplo, o conteúdo da palavra “bem” (“tak”) depende da entoação que está ancorada no contexto, na situação extraverbal. (p. 80). A entonação, por sua vez, depende da avaliação de dado grupo social, sendo social por excelência – a entonação fica no limite entre o verbal e o não verbal, entre o dito e o não-dito, entre a vida e a parte verbal do enunciado (p. 80, 84). A estrutura do discurso, da fala depende da relação do enunciado com a avaliação subentendida naquele meio social. (p. 81)

A entonação é caracterizada da seguinte forma:

1) apoio em coro, coral – seu elemento direcionado ao ouvinte, tomado na sua orientação social. Antecipação da reação do ouvinte (concordância ou discordância)

2) terceiro participante – relação com o objeto do enunciado, tendendo a personificá-lo – no exemplo culpa-se o inverno.

A entonação tem capacidade metafórica, ou seja, capacidade de condensar sentidos. Já a entonação metafórica está ligada ao gesto metafórico e precisa do apoio coral. Entonação e gesto expressam o estado de ânimo do falante e sua relação com o mundo e o meio social. (p. 82).

II) Palavra pronunciada ou escrita é produto de uma relação social: entre o falante (autor), ouvinte (leitor) e aquele de quem se fala (protagonista) (p. 83). “A alma social” da palavra lhe dá seu significado artístico. (p. 83). O enunciado concreto nasce, vive e morre no processo de interação social dos participantes do enunciado, a qual determina sua forma e significado. (p. 83)

III) Sentido global, o sentido vital e o valor ideológico do enunciado decorrem desse aspectos (p. 83, 84)

Parte V 

Diferença entre o enunciado verbal artístico (uma obra poética acabada) e o enunciado cotidiano, da vida.

1) Obra poética não tem uma dependência estreita do contexto extra-verbal (p. 84);

2) A obra poética é um potente condensador de avaliações sociais não expressas (p. 85) voltadas para o ouvinte e para o objeto do enunciado;

3) A forma tem um caráter avaliativo ativo, realiza-se em um material e tira seu significado do conteúdo. Representa uma atitude ativa com o representado. A escolha do conteúdo e da forma é um ato que estabelece a posição do criador, nela localiza-se a expressão de uma única avaliação social.(p. 86)

Parte VI

A última parte do texto ressalta que a  análise linguística não dá conta do fenômeno artístico, pois aborda a palavra e as inter-relações entre seus aspectos abstratos (fonéticos, morfológicos, sintáticos, etc).

A Poética sociológica é definida como a obra de arte que só existe no processo de relação social viva do qual fazem parte o autor, herói e ouvinte. (p. 87) Esses elementos determinam a forma e o estilo da obra poética (p. 89), a saber:

1) O valor hierárquico do herói. A categoria axiológica do acontecimento representado e de seu portador são o primeiro aspecto do conteúdo a determinar a forma. (p. 87) O tom principal do estilo é determinado pela relação hierárquica entre o autor e o protagonista do enunciado. (p. 88)

2) A relação de proximidade entre o herói/protagonista e o criador determina o estilo. Esse aspecto tem expressão gramatical na categoria da pessoa (primeira, segunda, terceira).

3) O ouvinte e sua relação com o autor, por um lado, e com o protagonista, por outro. O ouvinte ora está próximo do autor (p. 90), ora está próximo do protagonista, como na polêmica e na sátira. A poesia lírica aproxima o autor do ouvinte, o autor tem absoluta certeza da simpatia do ouvinte.

O poeta recebe a palavra e aprende suas entonações ao longo de toda a vida no processo de relações multilaterais com o seu meio. (p. 91). O próprio ato de consciência ocorre por meio do discurso interior, formado por palavras, entonação e avaliação, portanto, já é um ato social. (p. 92).

Conclusões gerais:

A partir da leitura, conclui-se que os três aspectos trabalhados são responsáveis pela estrutura social interna da obra de arte e pela sua abertura para outros campos da vida. As esferas ideológicas determinam a poesia de dentro. (p. 93). A forma se realiza com a ajuda de um material determinado. (p. 93)

 

Versões consultadas:

VOLOCHINOV, V.N. Slovo v jizni i slovo v poesii. M.M.Bakhtin (pod máskoi).Moscou: Labirint, 2000. p. 72-95.

______. Le discours dans la vie et le discours dans la poesia. In: TODOROV, T. Mikhail Bakhtine: le príncipe dialogique. Suivi de Écrits du Cercle de Bakhtine. Paris: Seuil, 1980. p. 181-216.

______[M.M.Bakhtin]. Discourse in life and discourse in poetry.  In: SHUKMAN, A. Bakhtin school papers. Oxford: RTP; Colchester: University of Essex, 1983. p. 5-31.

______ (M.M.Bajtín) La palavra en la vida y la palavra en la poesia. Hacia una poética sociológica. In: BAJTIN, M.M. Hacia una filosofia del cto ético. De los borradores y otros escritos. Trad. T. Bubnova. Rubí(Barcelona): Anthoropos; San Juan: Universidad de Puerto Rico, 1997. p. 106-137.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s